Desafios na incorporação da diversidade cultural nas estruturas do poder moçambicano na administração (público e privado): questões étnicas, tribais e culturais

Apañuãi oñemoinge haguã diversidad cultural umi estructura de poder mozambica-pe Administración-pe (Público ha Privada): Cuestiones étnicas, tribales ha culturales

Autores

  • Aquilasse Kapangula Manda Universidade Católica de Moçambique - Moçambique
  • Paulo Ivo Victor Patreque Cassicai Universidade Católica de Moçambique - Moçambique
  • Palma Pinto da Conceição Jos´é Maria Universidade Católica de Moçambique - Moçambique

Palavras-chave:

Diversidade, Etnias, Tribos, Culturas

Resumo

A diversidade cultural é uma característica fundamental de Moçambique, mas que muitas vezes não é incorporada adequadamente nas estruturas do poder público e privado. Esse desafio envolve questões étnicas, tribais e culturais que exigem acções conjuntas da sociedade para promover a inclusão e a valorização da diversidade. A pesquisa realizada, utiliza a metodologia hermenêutica qualitativa e destaca a importância de mudanças nos mecanismos políticos e sociais para construir uma sociedade mais justa e igualitária. Entre as estratégias sugeridas estão a educação inclusiva, a consciencialização e o diálogo entre diferentes grupos. Em conclusão, é necessário promover políticas públicas que valorizem a diversidade cultural e criar espaços de valorização e celebração das diferentes culturas e etnias presentes em Moçambique.

****

Diversidad cultural ha'e peteĩ característica fundamental Mozambique-pe, ha katu heta jey noñemoingéi hekopete umi estructura de poder público ha privado-pe. Ko desafío oike umi tema étnico, tribal ha cultural ha oikotevê acción conjunta sociedad omokyre'ÿvo inclusión ha omomba'eguasúvo diversidad. Investigación ojejapóva oiporu metodología hermenéutica cualitativa ha omomba'e guasu importancia orekóva cambio mecanismo político ha social omopu'ã haguã sociedad justa ha igualitaria. Umi estrategia oñeproponéva apytépe oî tekombo’e inclusivo, concienciación ha ñomongeta opaichagua aty apytépe. Oñemohu’ãvo, tekotevê oñemotenonde política pública omomba’éva diversidad cultural ha omoheñói espacio oñemomba’e ha ogueromandu’a haguã umi cultura ha etnia iñambuéva oîva Mozambique-pe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aquilasse Kapangula Manda, Universidade Católica de Moçambique - Moçambique

Doutorando em Ciência Política e Relações Internacionais na Universidade Católica de Moçambique; Especialista em Segurança Rodoviária; Membro das Forças de Defesa e Segurança; Comandante Adj. do Ramo da Polícia de Fronteiras de Moçambique. Mestre em Comando e Liderança pela Academia Superior de Ciências Policiais de SESPIMENPOL-Indonésia; Bacharel e Licenciado em Ensino da Língua Inglesa pela Universidade Pedagógica-Delegação da Beira;

Paulo Ivo Victor Patreque Cassicai , Universidade Católica de Moçambique - Moçambique

Doutorando em Ciência Política e Relações Internacionais na Universidade Católica de Moçambique; Director do Gabinete da Secretaria do Estado da Província de Tete. Mestre em Desenvolvimento Curricular e a institucional, com habilidades para Currículo para formação nas Empresas; Licenciado em Administração Pública pelo Instituto Superior de Relações Internacionais.

Palma Pinto da Conceição Jos´é Maria, Universidade Católica de Moçambique - Moçambique

Doutorando em Ciência Política e Relações Internacionais na Universidade Católica de Moçambique. Doutor em Gestão com Especialidade em Finanças e Mercados Financeiros, na Universidade Eduardo Mondlane;  Mestrado em Engenharia Civil na Especialidade em Construção e Vias de Comunicação no Instituto Superior Castelo Branco – Portugal; Licenciado em Engenharia Civil pela Universidade Zambeze; Licenciado em Estatística e Gestão de informação - Universidade Pedagogia.

Referências

Adam, Y. (2005). Moçambique: história, sociedade e política. Lisboa: Edições Colibri.

Adler, N. J. (2002). Global leadership: A new era: Academy of Management Executive, 45-50.

Berlo, D. K. (1960). The process of communication: an introduction to theory and practice. New York: Holt, Rinehart and Winston.

Coelho, J. P. (2015). Abrir a fábula: Questões da política do passado em Moçambique. in Rocha (2018). Precisamos de uma identidade única e coesa? uma questão de identificação nacional: a nação e identidade nacional em Moçambique. Mulemba. Rio de Janeiro: UFRJ, Vol.10, nº18, pp.111-120.

Bufalo, N. (2018). Preservação do Património Cultural de Moçambique o Ensino de Xigubo na Escola Secundária de Cambine. European Review of Artistic Studies 2020, vol. 11, n. 2, pp. 52-68.

Cahen, M. (1993). Moçambique: a tortuosa construção da unidade nacional. Maputo: Promédia.

Cahen, M. (2004). Entre identité collective et reconnaissance de la diversité: quelle place pour l'État? L'exemple mozambicain. Politique Africaine, pp. 87-106.

Chichava, S. (2019). O combate ao racismo e à discriminação em Moçambique. Revista Internacional de Estudos Africanos, pp. 67-75.

Coelho, J. P. (2003). Cidadania e espaço público em Moçambique. Cadernos de Estudos Africanos, pp. 117-127.

Cox, T. (1993). Cultural diversity in organizations: Theory, research, and practice. San Francisco: CA: Berrett-Koehler Publishers.

Domingos, M. (2017). A música como forma de expressão cultural e identidade nacional em Moçambique. Revista de Cultura e Artes, pp. 45-56.

Drucker, P. F. (1954). The practice of management. New York: Harper & Row.

Dubrin, A. J. (2010). Leadership: Research findings, practice, and skills. Boston: Houghton Mifflin.

Fisher, R., & Ury, W. (1981). Getting to Yes: Negotiating Agreement Without Giving In. Boston: Houghton Mifflin.

Gardner, J. W. (1990). On leadership. New York: Free Press.

Gelfand, M. J., & Realo, A. (1999). Individualism–collectivism and accountability in intergroup negotiations. Journal of Applied Psychology, 721-736.

Hofstede, G. (2001). Culture's consequences: comparing values, behaviors, institutions, and organizations across nations. Thousand Oaks, CA: Sage.

katzenbach, J. R., & Smith, D. K. (1993). The wisdom of teams: creating the high-performance organization. Boston: Harvard Business School Press.

Kochan, T., Bezrukova, K., Ely, R., Jackson, S., Joshi, A., Jehn, K., & . . . Thomas, D. (2003). The effects of diversity on business performance: Report of the diversity research network. . Human Resource Management.

Lau, D. C., & Murnighan, J. K. (1998). Demographic diversity and faultlines: The compositional dynamics of organizational groups. Academy of Management Review, pp. 325-340.

Limage, L. J. (2002). Conflitos étnicos e violência política em Moçambique: um estudo de caso das tensões entre as etnias Lomwe e Makua. Cadernos de Estudos Africanos, pp. 29-44.

Lopes, F. (2018). A diversidade cultural em Moçambique. Maputo: Universidade Eduardo Mondlane.

Lopes, J. (2018). Valorização das línguas locais em Moçambique. In: SILVA, A. (Org.). Educação e Diversidade Cultural. Maputo: Edições X.

Mondlane, E. (1964). The struggle for Mozambique. Penguin Books.

Muanza, A. (2019). Diversidade cultural e desenvolvimento econômico em Moçambique. Revista de Economia e Desenvolvimento, pp. 67-78.

Muanza, S. (2019). Diversidade cultural e inclusão social em Moçambique. Revista Internacional de Educação e Desenvolvimento, pp. 1-13.

OCDE, O. (2015). Desenvolvimento de liderança e competências para a administração pública. Paris: OCDE.

Pollitt, C., & Bouckaert, G. (2017). Public management reform: a comparative analysis - new public management, governance, and the Neo-Weberian State. Oxford: Oxford University Press.

Ribeiro, A. (2017). A promoção da diversidade cultural em Moçambique: desafios e oportunidades. Anais do Seminário Internacional de Políticas Culturais.

Ribeiro, L. (2017). A promoção da diversidade cultural como forma de combater o preconceito e a intolerância em Moçambique. Revista de Ciências Sociais, pp. 45-58.

Sandel, M. J. (2013). Justiça: o que é fazer a coisa certa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Santos, B. D. (2002). Para uma sociologia das ausências e das emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, vol.23, n.1, pp. 237-280.

Schein, E. H. (2010). Organizational culture and leadership. San Francisco: CA, Jossey-Bass.

Tannen, D. (1998). The argument culture: moving from debate to dialogue. New York: Random House.

Transparencia Internacional, T. (2018). Global corruption barometer. Berlim: Transparência Internacional.

Trompenaars, F., & Hampden-Turner, C. (2012). Riding the waves of culture: Understanding diversity in global business. New York: McGraw-Hill.

Downloads

Publicado

21-05-2024

Como Citar

Kapangula Manda, A. ., Cassicai , P. I. V. P. ., & Jos´é Maria, P. P. da C. (2024). Desafios na incorporação da diversidade cultural nas estruturas do poder moçambicano na administração (público e privado): questões étnicas, tribais e culturais: Apañuãi oñemoinge haguã diversidad cultural umi estructura de poder mozambica-pe Administración-pe (Público ha Privada): Cuestiones étnicas, tribales ha culturales. JINGA SEPÉ: evista nternacional e ulturas, Línguas fricanas rasileiras, 4(1), 422–436. ecuperado de https://revistas.unilab.edu.br/index.php/njingaesape/article/view/1333