A Cultura Macua, Globalicação e a Transmissão do Conhecimento

Utamaduni wa Macua, Utandawazi na Usambazaji wa Maarifa

Autores

  • André Xavier Ribisse Universidade Católica de Moçambique - Moçambique

Palavras-chave:

Comunidades, Cultura Macua, Ritos de Iniciação, Globalização

Resumo

Moçambique é um mosaico cultural espalhado nas várias regiões até localidades, que se manifestam ainda de forma tradicional. A este respeito Moto (2016) afirma que "Moçambique é País (Nação) repositório de vida e de uma cultura de tipo tradicional". Neste trabalho pretende compreender o peso do fenômeno globalização nesta cultura, inserida neste Moçambique com vasto e diversificados aspectos culturais. No estudo elegeu-se a abordagem qualitativa, tendo-se optado pelo paradigma interpretativo, com recurso à consulta bibliográfica com o auxílio da observação direta do modo de vida dos elementos desta etnia que se encontra espalhada no território moçambicano. A pesquisa trouxe como resultados principais, o fato de a abertura da comunidade ao mundo exterior, ela ficar exposta a influxo de elementos externos, a globalização. Nesta comunidade as adolescentes são sujeitos a ritos de iniciação em momentos diferentes, para algumas mais cedo aos onze ou doze anos e para outras aos catorze ou dezesseis anos. Estes costumes fertilizam a mudança do comportamento das crianças submetidas aos ritos de iniciação. Elas começam a comportar-se como adultas, em resultado da aplicação servil dos conhecimentos ministrados na “escola” de ritos de iniciação e consequentemente os fenômenos de gravidezes precoces e os casamentos prematuros. Esta situação hipoteca os esforços de educação formal de crianças nesta comunidade.

****

Msumbiji ni maandishi ya kitamaduni yaliyoenea katika maeneo mbalimbali na hata maeneo, ambayo bado yanajidhihirisha kwa njia ya kitamaduni. Kuhusiana na hili, Moto (2016) anasema Msumbiji ni nchi (taifa) ambayo ni hifadhi ya maisha na utamaduni wa jadi. Kazi hii inalenga kuelewa uzito wa jambo la utandawazi katika utamaduni huu, ulioingizwa nchini Msumbiji wenye nyanja kubwa na tofauti za kitamaduni. Katika utafiti huo, mbinu ya ubora ilichaguliwa, ikichagua dhana ya ufasiri, kwa kutumia mashauriano ya kibiblia kwa usaidizi wa uchunguzi wa moja kwa moja wa njia ya maisha ya vipengele vya kabila hili ambalo limeenea katika eneo la Msumbiji. Matokeo makuu ya utafiti yalikuwa ukweli kwamba jinsi jamii inavyojifungua kwa ulimwengu wa nje, inakuwa wazi kwa utitiri wa mambo ya nje, utandawazi. Katika jamii hii, vijana hupitia mila ya jando kwa nyakati tofauti, kwa wengine mapema kama miaka kumi na moja au kumi na mbili na kwa wengine mapema kama miaka kumi na nne au kumi na sita. Mila hizi huzaa mabadiliko ya tabia ya watoto wanaofanyiwa unyago. Wanaanza kuishi kama watu wazima, kama matokeo ya utumizi wa utumwa wa maarifa yanayofundishwa katika "shule" ya ibada za jando na kwa hivyo matukio ya ujauzito wa mapema na ndoa za mapema. Hali hii inadhoofisha juhudi za elimu rasmi za watoto katika jamii hii.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Xavier Ribisse, Universidade Católica de Moçambique - Moçambique

Doutor em Ciências da Educação, Especialidade de Inovação Educativa, Mestre em Economics Policies Management (EPM). Licenciado em Administração e Gestão de Empresas. Director Científico do Instituto Superior de Gestão e Empreendedorismo-Gwaza Muthini , Membro do Comité Institucional Bioético para a Saúde da Província de Gaza (CIBS-Gaza). Docente de Marketing de Serviços (na pós-graduação) e (i) Matemática Financeira I, (ii) Matemática Financeira II, (iii) Introdução à Gestão e (iv) Gestão de Marketing(na graduação).

Referências

Anderson, B. (1999). Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e expansão do nacionalismo. Perspectivas do Homem. Edições 70. Dedalis, Lisboa.

Giddens, Anthony. (1999). O mundo na era da globalização. Editorial Presença, Lisboa.

Giddens, Anthony. (2001). Sociologia. 6.ed. São Paulo. Artmed Editora S.A.

Macuacua, E. e Osório, Conceição. (2013). Os ritos de iniciação no contexto actual. ajustamentos, ruturas e confrontos. Construindo Identidades de Género.Maputo. Editora: WLSA Moçambique

Martínez, F. L. (2003). Antropologia cultural. guia para o estudo. Maputo. Editora:Paulinas

Martínez, F. L. (2009). O Povo Macua e a sua Cultura. análise dos valores culturais do povo macua no ciclo Vital. Maputo. Editora: Paulinas

Moto, M. (2016). Culturas tradicionais e a globalização em Moçambique. Maputo. Editora da UEM

Moto, M. (2016). Filosofia e Cultura Moçambicana. Universidade Eduardo Mondlane. Maputo: Editora da UEM

Seton-Watson, H. (1977). Nations and States. An enquiry into the origens of nations and the politics of nationalism. Boulder, Colo., Westview Press.

Tylor, E. B. (1871). Primitive Culture. Murray, London.

Wallis, D.(1930). Culture and Progress. New York: McGraw-Hill.

Downloads

Publicado

21-05-2024

Como Citar

Ribisse, A. X. (2024). A Cultura Macua, Globalicação e a Transmissão do Conhecimento: Utamaduni wa Macua, Utandawazi na Usambazaji wa Maarifa. JINGA SEPÉ: evista nternacional e ulturas, Línguas fricanas rasileiras, 4(1), 351–363. ecuperado de https://revistas.unilab.edu.br/index.php/njingaesape/article/view/1277

Edição

Seção

Seção IV - Relatos de Experiências, Fotos, Receitas, Tradições e ritos