Custódia de animais em situações de desastres naturais em Moçambique: Rumo à criação de uma Agência Inovadora

Kuchengeta mhuka mumamiriro ezvinhu engodzi dzinongoitika dzoga muMozambique: pamuguagua ye kuvura innovet Agency

Autores

  • Elias Paulo Mataruca Universidade Aberta - Moçambique
  • Manuel Jacinto Jardim Universidade Aberta - Moçambique
  • Viriato Caetano Dias Academia de Ciências Policiais - Moçambique

Palavras-chave:

Desastres, Custódia de animais

Resumo

Pela sua localização geográfica, Moçambique é considerado como um dos países mais vulneráveis aos desastres naturais ao nível da região Austral de África. Está, pois, fortemente exposto a eventos extremos ligados às alterações climáticas, como cheias, inundações, seca, ciclones, desastres naturais de origem antropogénica, entre outros. O objetivo deste artigo é o de impulsionar o surgimento do empreendedorismo social no contexto de desastres naturais no país, através da criação de uma Agência Inovadora de custódia de animais. Com efeito, foi formulada a seguinte pergunta de partida: de que forma a Agência Inovadora pode minimizar a perda de animais, em particular o gado bovino, no contexto de desastres naturais? O estudo baseou-se na abordagem qualitativa, aliada à pesquisa exploratória e aplicada, tendo como técnicas de recolha de dados, a análise bibliográfica e a entrevista. Os resultados obtidos concluem que um dos grandes problemas em situações de desastres naturais, nomeadamente, as operações de busca e salvamento, relaciona-se com o facto dos esforços se direcionarem apenas aos seres humanos em detrimento dos animais, como por exemplo, o gado bovino, caprino e suíno, cujo valor é muito mais que monetário. Daí que, sendo os desastres naturais cíclicos, sugere-se a criação de uma Agência Inovadora para minimizar os prejuízos causados aos animais.

****

Nekuda kwenzvimbo yayo, Mozambique inoonekwa seimwe yenyika dziri panjodzi dzenjodzi dzinongoitika dzoga mudunhu re Southern Africa. Saka inoratidzirwa zvakanyanya kune zviitiko zvakanyanyisa zvakabatana nekushanduka kwemamiriro ekunze, semafashamo, kusanaya kwemvura, madutu, njodzi dzinongoitika dzeanthropogenic, pakati pedzimwe. Chinangwa chechinyorwa chino ndechekusimudzira kubuda kwebhizimusi revanhu mumamiriro ezvinhu e njodzi dzinongoitika dzoga munyika, kuburikidza nekuvakwa kwe Innovative Animal Custody Agency. Muchokwadi, mubvunzo unotevera wekutanga wakagadzirwa: iyo Innovative Agency inogona sei kuderedza kurasikirwa kwemhuka, kunyanya mombe, mumamiriro ezvinhu enjodzi dzinongoitika dzoga? Chidzidzo chacho chakanga chakavakirwa nekutsvakurudza uye kubvunzurudza senzira dzekuunganidza data. Migumisiro yakawanikwa inogumisa kuti rimwe rematambudziko makuru mumamiriro ezvinhu enjodzi dzinongoitika dzoga, kureva mabasa ekutsvaga nekununura, ndeyekuti kuedza kunonangana chete kuvanhu kwete kumhuka dzakadai semombe, mbudzi nenguruve, idzo dzinokosha zvikuru kudarika mari. Naizvozvo, sezvo njodzi dzinongoitika dzichitenderera, zvinokurudzirwa kuti Innovative Agency ivakwe kuti zvibatsire kuderedza kukuvadzwa kunoitwa mhuka.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elias Paulo Mataruca, Universidade Aberta - Moçambique

Doutorando em Estudos Globais - Universidade Aberta.

Manuel Jacinto Jardim, Universidade Aberta - Moçambique

Doutorando em Estudos Globais - Universidade Aberta

Viriato Caetano Dias, Academia de Ciências Policiais - Moçambique

Docente da Academia de Ciências Policiais (ACIPOL).

Referências

Antonio, L.; Valencio, N. (2016). Animais de estimação em contexto de desastres: desafios de (des)proteção. São Paulo, SP, Universidade de São Paulo (USP), Desenvolvimento e Meio Ambiente, Vol. 38, pp. 741-767, agosto.

Antonio, L. (2016). Desafios da (des)proteção de animais em contexto de desastre: o caso de Teresópolis. Folhas nº 162. Dissertação de mestrado, Escola de Engenharia de São Carlos, São Carlos, SP, Universidade de São Paulo.

Batone, C. (2021). O Comportamento das Finanças Públicas em Contextos de Desastres Naturais em Moçambique: o caso do Ciclone IDAI e Keneth. Revista angolana de ciências, vol. 3, núm. 2, 2021, pp. 508-525. Luanda, Angola, Universidade Rainha Njinga a Mbande.

Nova, Y.; Mosca, J. (2020). Produção Bovina em Moçambique: Desafios e Perspectivas - O Caso da Província de Maputo. Maputo: Observador Rural, nº 89, pp. 1-33.

Carmo, H.; Ferreira, M. (2008). Metodologia da Investigação.2.ed. Lisboa: Universidade Aberta.

Dias, E. (2018). Abordagens Schumpeteriana e Neo-Schumpeteriana de empreendedorismo e inovação das pequenas e médias empresas em Moçambique: o caso de Moçambique, 1992-2017. 112f. Dissertação de mestrado em Direitos Humanos, Desenvolvimento Econômico e Boa Governação. Maputo, Universidade Técnica de Moçambique.

Díaz, A; Trelles, S; Murillo, J. (2015). A gestão do risco e a atenção de animais em situação de desastre: aumentando a resiliência do sector pecuário. São José, Costa Rica: IICA.

Ética Animal (2021). Animais ajudados em incêndios e desastres naturais. Blog. [Consultado a 8 de novembro de 2021. Disponível em https://www.animal-ethics.org/animais-ajudados-em-incendios-e-desastres-naturais/

Freixo, M. (2012). Metodologia Científica: Fundamentos, Métodos e Técnicas. 4 Edição. Lisboa: Instituto Piaget.

INGC (2019). Avaliação Rápida Multissectorial pós-ciclone IDAI: 14 distritos das províncias de Sofala e Manica – Moçambique. Maputo, pp. 1-17 de Abril de 2019.

Kobiyama, M. et. al. (2006). Prevenção de Desastres Naturais: Conceitos Básicos. 1ª Edição. Curitiba: Organic Trading.

Lisboa, A. (2004). A presença do espírito empreendedor no processo de formulação de estratégias de internacionalização da Datasul. FACEF Pesquisa - v.7 - n.3., pp. 85-97.

Lundin, L. (2016). Metodologia de Pesquisa em Ciências Sociais. Maputo: Escolar editora.

Machel, M. (2017). My Love: a nossa forma de estar e a cegueira deliberada. Maputo: CEDIMA, LDA.

Marinha do Brasil (2021). Definições. Comando do 5º Distrito Naval [Consultado a 26 de novembro de 2020]. Rio Grande, RS. Disponível em: https://www.marinha.mil.br/com5dn/definicoes

Miller, J. (2002) (Coordenador). Moçambique: Cheias 1999-2000. Projecto de Desenvolvimento da Política Agrícola [acedido a 16 de novembro de 2020], pp. 1-58. Disponível em https://sarpn.org/documents/d0000811/P907-Mozambique_floods_1999-2000_USAID_072002_P.pdf

Muchacona, J. (2021). Poder judiciário, comunidades tradicionais e a administração da justiça em Moçambique: encruzilhada entre a tradição e a modernidade. 388f. Tese de Doutoramento. Faculdade de Direito. Nampula, Universidade Católica de Moçambique.

Notícias online (2024). Produção de gado bovino: Gaza investe na transformação do sector familiar para comercial. Maputo, 9 de agosto de 2022. 1-17 de abril de 2019.

Pongo, F. (2021). Desafios da criação de serviço de busca e salvamento da Força Aérea de Moçambique (2000-2019). 92f. Dissertação de mestrado em Ciências Militares. Machava, Maputo, ISEDEF. 6º Curso de Estado Maior Conjunto.

Prodanov, C.; Freitas, E. (2013). Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Académico. 2.ed. Rio Grande do Sul: Universidade FEEVALE.

Ramos, S.; Naranjo, E. (2014). Metodologia da Investigação Científica. Luanda: Editora Escolar.

República de Moçambique (2020). Lei nº 10/2020, de 24 de agosto, Lei de Gestão e Redução do Risco de Desastres.

Ribeiro, H. (2008). Dicionário de termos e citações de interesse político e estratégico: Contributo. Lisboa: Gradiva.

Sobel, R.; e Clemens, J. (2021). O essencial de Joseph Schumpeter. Trad. de Mathus Paccini. São Paulo: Faro Editorial.

Tominaga, L; Santoro, J; Amaral, R. (2009). Desastres naturais: conhecer para prevenir. São Paulo: Instituto Geológico.

Vieira, J. (2016). Medicina Veterinária de Desastres e Catástrofes: Contributo para a extensão do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Lisboa aos Animais de Companhia. Lisboa: Universidade de Lisboa.

Downloads

Publicado

21-05-2024

Como Citar

Mataruca, E. P. ., Jardim, M. J., & Dias, V. C. (2024). Custódia de animais em situações de desastres naturais em Moçambique: Rumo à criação de uma Agência Inovadora: Kuchengeta mhuka mumamiriro ezvinhu engodzi dzinongoitika dzoga muMozambique: pamuguagua ye kuvura innovet Agency. JINGA SEPÉ: evista nternacional e ulturas, Línguas fricanas rasileiras, 4(1), 364–380. ecuperado de https://revistas.unilab.edu.br/index.php/njingaesape/article/view/1082

Edição

Seção

Seção IV - Relatos de Experiências, Fotos, Receitas, Tradições e ritos