32.Descrição fonético-fonológica da monotongação no português falado em Angola como influência das línguas bantu

Phonetic-phonological description of monotongation in spoken portuguese in Angola as an influence of bantu languages

Autores

  • Celestino Domingos Katala Universidade Agostinho Neto-Angola
  • João Domingos Pedro Universidade Njinga A Mbande - Angola

Palavras-chave:

Descrição, Fonética, Monotongação, Linguas bantu, Português

Resumo

Este artigo visa fazer reflexões sobre a perceção da monotongação na fala tendo como base Alan Reis Da Silva (2019) e Maricélia da Silva Anselmo (2011). Consideramos ser um assunto pouco abordado e que, em nosso entender, constitui um dos temas interessantes para uma maior compreensão das variedades do português, sobretudo na realidade angolana, no tocante às línguas bantu. É sobre este prisma que o nosso estudo versa, pois o objectivo é entender este fenómeno e  as suas implicações em falantes cuja ocorrência seja frequente e preveni-los da possível estigmatização por parte de quem não domina o assunto. Sendo o fenómeno da monotongação cada vez mais patente nos diálogos, até mesmo na fala das pessoas devidamente escolarizadas cuja língua materna é ou não uma bantu, vêem a configurar-se como uma realidade e a ganhar cada vez mais espaço dentro da própria língua portuguesa, não como um desvio, porém, como um fenómeno independente dentro da língua portuguesa. Baseando-nos em postulados linguísticos já formulados, mesmo deixando de lado as variedades populares e outras, como dialectais e restringindo-nos à norma, a dimensão e a natureza dos fenómenos registados, com realce à monotongação, apontam para a consolidação irreversível de uma norma angolana do português, diferente da do português europeu e da do português brasileiro.

***

This article aims to reflect on the perception of monophthongization in speech based on Alan Reis Da Silva (2019) and Maricélia da silva Anselmo (2011). We consider it to be a subject that has not been addressed much and that, in our view, constitutes one of the interesting topics for a better understanding of the varieties of Portuguese, especially in the Angolan reality, with regard to the Bantu languages. It is in this light that our study is concerned, as the objective is to understand this phenomenon and its implications for speakers whose occurrence is frequent and to prevent them from possible stigmatization by those who do not know the subject. As the phenomenon of monophthongization is increasingly evident in the dialogues, even in the speech of properly educated people whose mother tongue is a Bantu or not, they see themselves as a reality and gaining more and more space within the Portuguese language itself, no longer as a deviation, however, as an independent phenomenon within the Portuguese language. Based on linguistic postulates already formulated, even leaving aside popular and other varieties, such as dialects and restricting ourselves to the norm, the dimension and nature of the registered phenomena, with emphasis on monophthongization, point to the irreversible consolidation of a norm Angolan language from Portuguese, different from that of European Portuguese and Brazilian Portuguese

Biografia do Autor

Celestino Domingos Katala, Universidade Agostinho Neto-Angola

É licenciado em Língua e Literatura em Língua Portuguesa, pela Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto, Luanda, Angola, é escritor e professor de Língua Portuguesa e de Literatura Angolana no Instituto Politécnico; é vencedor do Prémio Imprensa Nacional de Literatura Edição 2021; É membro do Movimento dos Novos Intelectuais de Angola, investigador em Ciências Humanas com realce para o ensino da língua Portuguesa vs línguas bantu em Angola. Possui vários artigos científicos publicados em revistas internacionais

João Domingos Pedro, Universidade Njinga A Mbande - Angola

É Mestre em Linguística do Português, Docente da Universidade Njinga A Mbande-Angola, no Instituto Politécnico, onde ministra as cadeiras de Língua Portuguesa, Metodologia de Ensino do Português L2, Técnicas de Comunicação Oral e Escrita, Sintaxe e Semântica do Português. É pesquisador nas áreas de Didática e Metodologia do Ensino do Português e do Inglês, Comunicação e Linguagem. É Docente convidado pelo Instituto Superior Politécnico Cardeal Dom Alexandre do Nascimento actuando nas Cadeiras de Linguística do Português, Sintaxe e Semântica do Português e Literatura Brasileira. Publicou vários artigos publicados em revistas internacionais nas áreas descritas.

Referências

Anselmo, M. D. Monotongação: um processo variacionista na prática escolar. Guarabira-PB: Biblioteca Setorial De Guarabira/UEPB, 2011.

Bisol, L. Introdução a estudos de fonologia do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUC – RS, 1996.

Câmara Jr. J. M. História e estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1979.

Carlos, G. A. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

De Aragão , M. Ditongação e monotongação nas capitais brasileiras. In: J. Pessoa (Ed.), 2014.

De Souza, T. M. Glossário de linguística Comparada.: Faculdade de Letras da UFMG.Belo Horizonte, 2011, [s.n.]. Disponível em: https://slidex.tips/download/glossario-de-linguistica-comparada. Acesso em: 02 jun. 2022.

Graus. Significa. Disponível em: https//.www.significados.com.br/descricao/. (22 de Março de 2011). Acesso em 26 de 04 de 2020.

Disponível em: https//www.pt.m.wikpedia.org/wiki/transcricao_fonetica. (15 de 01 de 2001). Acesso em 26 de 04 de 2020, disponível em wikipedia.org.

Dos Santos, C. M.; Almeida , M. E.; Rodrigues, M. L. (sine date). monotongação e ditongação no Português: Um estudo Diacrónico. São Paulo 2008. http://www.filologia.org.br/vii_sinefil/COMPLETOS/Monotonga. Acesso em: 03 jun. 2022.

Sassuco, D. P.. Leite, B. Línguas atuais faladas em Angola: Florianópolis: NUER–Núcleo de Estudos de Identidades e Relações Interétnicas, 2015.

Faraco, C. A. Considerações sobre a nominalização em português - III. Revista Letras, [S.l.], vol. 33, dez. 1984. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/letras/article/view/19316>. Acesso em: 09 ago. 2022.

Fernandes, J.; Ntondo, Z. Angola: povos e línguas. Luanda: Editorial Nzila, 2002.

Foucault, M. As palavras e as coisas. Trad. Selma Tannus Muchall. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Guthrie, M. The Classification of the Bantu Languages. The International African Institute by the Oxford University Press, Oxford. 1948.

Labov, W. Padrões sociolinguísticos. Trad. de Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre e Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

Lakatos, E. M.; Marconi, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

Massango, C. C., Análise comparativa da sílaba em português europeu e nas línguas Bantu. Universidade de Aveiro, 2016, [s.n.]. (Dissertação de Mestrado). Disponível em: http://hdl.handle.net/10773/26887

Mateus M; Rodrigues C. A vibrante em coda no português europeu. In: Freitas T.; Mendes A. (Org.). Actas do XIX Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística. Lisboa: Colibri; 2004. p. 289-299.

Gerhardt, T. E.; Silveira, D.T. Métodos de pesquisa. Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

Ngunga, A.; Simbine, M. C. Gramática descritiva da língua changana. Maputo: CEA, 2012.

Ngunga, A., Introdução à Linguística Bantu. Maputo: Imprensa Universitária, 2004.

Porto Editora – influenciar no Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora. (2003). Disponível em: https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/influencias. Acesso em: 12ago.2022.

Silva, P.C.; Sousa, A. O. Língua e sociedade: influências mútuas no processo de construção sociocultural. Revista Educação e Emancipação. São Luís, vol. 10, nº 3, set/dez.2017.

Trask, R. L. Historial Linguistics. [s.l.]. Editora Arnold, 1996.

Undolo, M. E. da S. Caracterização da norma do Português em Angola. Évora: Universidade de Évora, 2014.

Viti, N. V. Interferência linguística do umbundu no português e respectiva aprendizagem. Lisboa: Universidade de Nova Lisboa, 2012.

Xavier, M. F.; Mateus, M. H (Org.). Dicionário de termos linguístcos. Vol.I. Lisboa; Edições Cosmos, 1990.

XVII Congreso Internacional Asociación De Lingüística Y Filología De América Latina (ALFAL 2014). Paraíba: Universidade Federal do Ceará/Universidade Federal da Paraíba.

Zau, D. G. D. A Língua Portuguesa em Angola Um Contributo para o Estudo da sua Nacionalização. Universidade da Beira Interior, Covilhã, Agosto de 2011.

Downloads

Publicado

03-10-2022

Como Citar

Katala, C. D., & Pedro, J. D. (2022). 32.Descrição fonético-fonológica da monotongação no português falado em Angola como influência das línguas bantu: Phonetic-phonological description of monotongation in spoken portuguese in Angola as an influence of bantu languages. NJINGA E SEPÉ: Revista Internacional De Culturas, Línguas Africanas E Brasileiras, 2(Especial I), 552–570. Recuperado de https://revistas.unilab.edu.br/index.php/njingaesape/article/view/989