Reflexões sobre a participação feminina quilombola e indígena em diferentes modos de experimentar a política: uma análise bibliográfica a partir dos textos de Daniela Perutti e Lauriene Seraguza

Autores

  • Adriano Mikael Felix Silva

Palavras-chave:

Gênero; Política;Terra; Território; Quilombolas; Indígenas

Resumo

A partir dos estudos etnográficos das antropólogas Daniela Perutti (2018) e Lauriene Seraguza (2018), a discussão a seguir abordará a participação feminina nos meios quilombolas e indígenas, vista principalmente em seus diferentes modos de experimentar a política. Os territórios quilombola e indígena que serão apresentados e discutidos nesse ensaio, são feitos a partir de uma coexistência, em que as mulheres possuem um papel primordial na defesa de suas terras ao se apropriarem das pautas que movem suas vivências nesses lugares, e por eles lutarem. Nesse sentido, destaco o investimento etnográfico realizado pelas autoras em refletir sobre os contextos nos quais as mulheres de ambos os grupos estão inseridas. Ou seja, tanto aquele descrito por Perutti em seu retrato das relações que constituem um território quilombola no estado de Goiás (o Lavado), que é comandado por uma mulher; quanto o contexto narrado por Seraguza, marcado pela participação de mulheres da população indígena Guarani e Kaiowa na política e na defesa de seu território através das assembleias Aty Guasu Kunã. As perspectivas que orientam esses dois trabalhos também estão atentas ao modo como as relações entre os gêneros e a vivência da sexualidade estão relacionadas aos diversos assuntos sociais, econômicos e territoriais particulares a esses coletivos.

Downloads

Publicado

2005-2019

Edição

Seção

Primeiros Passos