NJINGA e SEPÉ: Revista Internacional de Culturas, Línguas Africanas e Brasileiras: Anúncios https://revistas.unilab.edu.br/index.php/njingaesape <p>​A <strong>Revista Científica Njinga &amp; Sepé</strong> <strong>(ISSN: 2764-1244)</strong> foi criada em homenagem a Rainha africana Njinga Mbandi e ao guerreiro indígena brasileiro Sepé Tiarajú. A Revista respeita a Declaração Universal dos Direitos Linguísticos (1996), a Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948), A Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural (2002) e a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas (2006).</p> <p>A <strong>Revista Njinga &amp; Sepé</strong> aceita e publica textos escritos em <strong>qualquer língua africana</strong> ou <strong>indígena brasileira</strong> e vídeos de línguas de sinais. Abre-se exceção especial para todas as línguas de Timor Leste por ser país parceiro da UNILAB. Os textos escritos em qualquer outra língua europeia (espanhol, francês, português ou inglês) deverão estar acompanhados de um resumo numa <strong>língua africana ou indígena brasileira</strong>. As línguas de sinais terão 2 resumos e um vídeo de no maximo 10 min. A Revista publicará um (1) volume por ano, com dois números (1º número. em maio e 2º número em outubro) e ocasionalmente um <strong>volume especial</strong> a depender da demanda dos autores e da Comissão Científica.</p> <p><em>A</em><strong> Revista Njinga &amp; Sepé </strong>é composta por seis (6) seções: <strong>Seção I</strong> - Artigos inéditos e traduções/interpretações; <strong>Seção II</strong> - Entrevistas, resenhas de livros; <strong>Seção III</strong> - Poesias e Letras de canções populares; <strong>Seção IV</strong> - Relatos de experiências, fotos, receitas de comidas tradicionais, ritos e festividades ; <strong>Seção V</strong> - Provérbios, tabus, mitos e outras;<strong> Seção VI</strong> - Línguas de sinais . Cada autor escolherá uma seção. É importante fazer o cadastro porque todos os textos deverão ser submetidos pelo site da Revista. Bem hajam as culturas, tradições e línguas dos povos indígenas, dos povos africanos e do povo de Timor Leste. </p> <p>Todos os textos recebidos são primeiramente submetidos a verificação da originalidade com o uso do software Turnitin Originality, da empresa Turnitin para a detecção de similaridade textual e integridade em textos acadêmicos (antiplágio): <a href="https://www.turnitin.com/products/originality">https://www.turnitin.com/products/originality</a>. Os textos aprovados nesta fase são submetidos a avaliação dos pares (às cegas) para a definição da aprovação ou não.</p> <p>O acesso aos trabalhos publicados é inteiramente gratuito</p> <p>Os autores não pagam e nem recebem nenhum tributo financeiro pela contribuição e publicação</p> <p>Os editores, avaliadores, tradutores, Comité Científico e outros colaboradores participam voluntariamente.</p> pt-BR Wed, 26 Jan 2022 18:54:58 -0300 OJS 3.3.0.9 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Número Especial: DOSSIÊ: CENAS DAS VIDAS CULTURAIS INDÍGENA, AFROBRASILEIRA, AFRICANA E TIMORENSE EM TEMPOS CONTEMPORÂNEOS# DOSSIER: SCENES OF INDIGENOUS, AFRO-BRAZILIAN, AFRICAN AND TIMORIAN CULTURAL LIVES IN CONTEMPORARY TIMES https://revistas.unilab.edu.br/index.php/njingaesape/announcement/view/35 <p>Ementa: Nos tempos contemporâneos, a vida tem se tornado cada vez mais complexa. As cenas culturais dos povos que vivem nas Américas, na África e na Ásia têm refletido lidas sociopolíticas bastante conflituosas e reconfigurações nas relações entre esses povos. Por meio dessas lidas, os povos estão recompondo suas autonomias etnoculturais, suas percepções de gênero, orientação sexual, e o valor da liberdade religiosa. Eles também estão redefinindo seus comportamentos em relação ao meio ambiente, segurança alimentar, mudanças climáticas, democracia, cidadania, expondo questões urgentes como preconceitos, discriminações e intolerâncias frente às diferenças socioculturais; além de promover repensares sobre a relação entre diversidade e desigualdade que persistem em existir entre os povos. Neste sentido, é relevante aprofundar o debate sobre processos históricos globais atuais tecendo (re)composições das cenas da vida cultural contemporânea. Esses aspectos, carregados de significações e sensibilidades, ensejam olhares interdisciplinares e possibilitam a pesquisadores e estudiosos de diferentes áreas do conhecimento, de origens etnoculturais e sociais diversas a dialogar sobre cenas da vida cultural indígena, africana e timorense em tempos contemporâneos. O presente “Dossiê Especial 2022” almeja fornecer um quadro das abordagens, tendências e articulações metodológicas, históricas, epistemológicas, estéticas, hermenêuticas e áreas afins, que permita a composição de um cenário transdisciplinar e ajude o leitor a apreender o universo contemporâneo dos povos das Américas, da África e da Ásia. Para tanto, estamos acolhendo artigos inéditos e traduções/interpretações<strong> (Seção I)</strong>; Entrevistas, resenhas de livros<strong> (Seção II)</strong>; Poesias e Letras de canções populares<strong> (Seção III)</strong>; Relatos de experiências, fotos, receitas de comidas tradicionais, ritos e festividades (<strong>Seção IV)</strong>; - Provérbios, tabus, mitos e outras<strong> (Seção V)</strong>;<strong> </strong> Línguas de sinais (<strong>Seção VI)</strong>, que versem sobre os povos indígenas, os povos afrobrasileiros, os povos africanos e o povo de Timor Leste. O dossiê, por fim, lança aos seus proponentes, a tarefa de dialogar, provocar, inquirir e até mesmo definir cenas da vida cultural humana em tempos contemporâneos.</p> <p>Para tanto, estamos acolhendo artigos inéditos e traduções/interpretações<strong> (Seção I)</strong>; Entrevistas, resenhas de livros<strong> (Seção II)</strong>; Poesias e Letras de canções populares<strong> (Seção III)</strong>; Relatos de experiências, fotos, receitas de comidas tradicionais, ritos e festividades (<strong>Seção IV)</strong>; - Provérbios, tabus, mitos e outras<strong> (Seção V)</strong>;<strong> </strong> Línguas de sinais (<strong>Seção VI)</strong>, que versem sobre os povos indígenas, os povos afrobrasileiros, os povos africanos e o povo de Timor Leste. O dossiê, por fim, lança aos seus proponentes, a tarefa de dialogar, provocar, inquirir e até mesmo definir cenas da vida cultural humana em tempos contemporâneos.</p> <p><strong>Submissão:</strong> 10 de julho a 10 de outubro 2022</p> <p><strong>Avaliação:</strong> 10 de outubro a 6 de novembro 2022</p> <p><strong>Resultado:</strong> 8 de novembro 2022</p> <p><strong>Publicação:</strong> 29 ou 30 de novembro 2022</p> <p><strong>Formatação:</strong> Times New Roman, 12, espaçamento 1,2. Título, Resumo de 150 a 200 palavras e o texto deverá ter de 12 a 20 páginas. Não precisa paginar. Enviar o texto para: revista.njinga.sape@unilab.edu.br</p> <p>******</p> <p><strong>DOSSIER PROPOSAL FOR THE NJINGA &amp; SEPÉ JOURNAL FOR THE SPECIAL EDITION - 2022.</strong></p> <p><strong> </strong><strong>DOSSIER: SCENES OF INDIGENOUS, AFRO-BRAZILIAN, AFRICAN AND TIMORIAN CULTURAL LIVES IN CONTEMPORARY TIMES</strong></p> <p>Life has become increasingly complex in contemporary times. The cultural scenes of people living in the Americas, Africa and Asia have reflected quite conflicting socio-political dealings and reconfigurations in the relationships between these people. It is through these dealings that they are recomposing their ethnocultural autonomies, their perceptions of gender, sexual orientation, and the defense of the inviolable freedom of conscience and beliefs as well as the free exercise of religious cults. They are also redefining their behavior in relation to the environment, food security, climate change, democracy, citizenship, and exposing on debate urgent issues such as prejudice, discrimination and intolerance in the face of sociocultural differences. These people are also promoting (re)thinking about the relationship between diversity and inequality that persist among peoples. Naturally, it is relevant to deepen the debate on current global historical processes by weaving (re)compositions of the scenes of contemporary cultural life. These aspects are loaded with meanings and sensitivities and it gives rise to interdisciplinary perspectives allowing researchers and scholars from different areas of knowledge, from diverse ethnocultural and social origins to dialogue about scenes of Indigenous, Afro-Brazilian, African and Timorian cultural lives in contemporary times. This “2022 Special Dossier” aims to provide a framework of approaches, trends and methodological, historical, epistemological, aesthetic, hermeneutic and related areas, which allows the composition of a transdisciplinary scenario and helps the reader to apprehend the contemporary universe of the people of the Americas, Africa and Asia.</p> <p>To this end, we welcome unpublished articles and translations/interpretations <strong>(Section I);</strong> Interviews, book reviews <strong>(Section II)</strong>; Poetry and Lyrics of Popular Songs <strong>(Section III)</strong>; Experience reports, photos, recipes for traditional foods, rites and festivities <strong>(Section IV);</strong> Proverbs, local popular narratives, myths and others <strong>(Section V); </strong>Sign languages <strong>​​(Section VI),</strong> which deal with indigenous people, Afro-Brazilian people, African people and the people of East Timor. Finally, the dossier challenge its proponents the task of dialoguing, provoking, inquiring and even defining scenes of human cultural lives in contemporary times.</p> <p><strong>Submission:</strong> July 10, 2022 until October 10, 2022</p> <p><strong>Rating:</strong> October 10 to November 06, 2022</p> <p><strong>Result:</strong> November 08, 2022</p> <p><strong>Publication:</strong> 29 or 30 November 2022</p> <p><strong>Formatting</strong>: Times New Roman, 12, spacing 1.2, Title, Abstract betwen 150 to 200 words and the text must have 12 to 20 pages. No need to paginate. Send the text to: revista.njinga.sape@unilab.edu.br</p> https://revistas.unilab.edu.br/index.php/njingaesape/announcement/view/35 Wed, 26 Jan 2022 18:54:58 -0300