Lesbianidade e branquitude

Autores

  • Julia Aleksandra Martucci Kumpera Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Palavras-chave:

Lesbianidade, Branquitude, Colonialidade, Racismo

Resumo

Neste ensaio, realizo um exercício de reflexão sobre as imbricações entre lesbianidade e branquitude. A branquitude refere-se ao lugar de vantagem estrutural ocupado por pessoas brancas em sociedades racialmente segregadas, o que lhes confere poder material, político, simbólico e cultural. A partir das contribuições do pensamento lésbico contemporâneo e dos estudos sobre branquitude, analiso o lugar ocupado pelas lésbicas brancas no contexto brasileiro. Os debates suscitados apontam para a necessidade de conscientização do privilégio e responsabilização coletiva pelo racismo.

Referências

BACHETTA, P. Co-formações/co-produções: considerações sobre poder, sujeitos subalternos, movimentos sociais e resistências. In: TORNQUIST, C. et all (orgs.) Leituras de resistência: corpo, violência e poder, v.1. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2009.

CRISP, C. White and Lesbian: Intersections of Privilege and

Oppression, Journal of Lesbian Studies, vol. 18, n. 2, 2014, p. 106-117. Disponível em: <https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/10894160.2014.849161>. Acessado em 19 mar. 2020.

CURIEL, O. Descolonizando el feminismo: una perspectiva desde América Latina y el Caribe. Comunicação oral apresentada no Primer Coloquio Latinoamericano sobre Praxis y Pensamiento Feminista, Buenos Aires, 2009. Disponível em: <http://feministas.org/IMG/pdf/Ochy_Curiel.pdf>. Acessado em 01 mar.2020.

_________. El lesbianismo feminista: una propuesta política transformadora. Revista América Latina en Movimiento, 2007. Disponível em: <https://www.alainet.org/es/active/17389>. Acessado em 10 mar.2020

HALL, M. Os fazendeiros paulistas e a imigração. In: TEIXEIRA DA SILVA, F. et all (orgs.). República, Liberalismo, Cidadania. Piracicaba: Editora UNIMEP, 2003, p. 154-163.

JESUS, C. A persistência do privilégio da brancura: notas sobre os desafios na construção da luta antirracista. In: CARDOSO, L.; MULLER, T. (orgs.). Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil. São Paulo: Appris, 2017, p. 66-79.

LEITE, L. Safo de Lesbos: ícone lésbico? Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13º Mundo de Mulheres (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2017. Disponível em: <http://www.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1503336042_ARQUIVO_Texto_completo_MM_FG_letticiabrl.pdf>. Acessado em 18 fev. 2020

LIMA, F. Raça, interseccionalidade e violência: corpos e processos de subjetivação em mulheres negras e lésbicas. Cadernos de Gênero e Diversidade, vol. 4, n. 2, Salvador, 2018, pp. 66-82. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/cadgendiv/issue/view/1604/showToc. Acessado em 10/12/2018.

LORDE, A. Irmã outsider: ensaios e conferências. Trad. Stephanie Borges. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

MARTÍNEZ, M. T. G. Oxímoron. Blanquitud y feminismo descolonial en Abya Yala. Revista Descentrada, vol. 2, n. 2, 2018, p. 1-12. Disponível em: <http://www.descentrada.fahce.unlp.edu.ar/article/view/DESe050>. Acessado em 05 fev. 2020

MIRANDA, J. Branquitude invisível – pessoas brancas e a não perspecção do privilégio: verdade ou hipocrisia? In: CARDOSO, L.; MULLER, T. (orgs.). Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil. São Paulo: Appris, 2017, p. 52-65.

MORAGA, C. La güera. In: MORAGA, C.; CASTILLO, A. (orgs.). Esta puente, mi espalda: voces de mujeres tercermundistas en Estados Unidos. San Francisco: Ism Press, Inc., 1988, p. 19-30.

REID, A. Imigração, 1890-1930. In: Negros e brancos em São Paulo (1888-1988). Trad. Magda Lopes. Bauru: EDUSC, 1998, p. 93-147.

RICH, A. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 4, n. 05, 27 nov. 2010. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/2309>. Acessado em 15 mar. 2020

SILVA, P. O conceito de branquitude: reflexões para o campo de estudo. In: CARDOSO, L.; MULLER, T. (orgs.). Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil. São Paulo: Appris, 2017, p. 22-33.

SOARES, S.; PERES, M. Aplicação da Perspectiva dos Funcionamentos ao debate das violências contra lésbicas e dos lesbocídios. In: SOARES, S; DIAS, M. C. (org.). Mulheres: violências vividas. Rio de Janeiro: Ape’Ku, 2019, p. 43-54.

WITTIG, M. El pensamiento heterosexual y otros ensayos. Trad. Javier Sáez e

Paco Vidarte. Barcelona: Egales, 2006.

Downloads

Publicado

0604-2020

Edição

Seção

Dossiês Temáticos