Criatividade e Resistência: a Parada do Orgulho LGBTI do Rio Janeiro de 2017

A PARADA DO ORGULHO LGBTI-RIO DE 2017

  • Diego Santos Vieira de Jesus ESPM-Rio

Resumo

O objetivo é examinar a relevância socioeconômica da Parada LGBTI-Rio para a cidade do Rio de Janeiro e os desafios político-econômicos à realização do evento em 2017. O argumento central aponta que, ainda que não elimine completamente as clivagens existentes entre membros da população LGBTI da cidade, a Parada permite a criação de espaços de identificação entre pessoas que dividem experiências de opressão, além de gerar renda por meio do estímulo dado aos setores da economia criativa carioca. Em 2017, os principais desafios à realização da Parada estavam relacionados ao ajuste fiscal promovido pelo governo municipal e à interferência das posições conservadoras do prefeito nas suas funções administrativas.

Referências

BENDASSOLLI, Pedro F.; WOOD JR., Thomaz; KIRSCHBAUM, Charles; CUNHA, Miguel Pina e. Indústrias criativas: definição, limites e possibilidades. RAE, v.49, n.1, p.10-18, 2009.

BERNARDES, Alex. Rio de Janeiro recebe 600 mil pessoas na Parada Gay. ViaG, 12 dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2017.

CCTC. Cidade criativa. CCTC website, s.d. Disponível em: < http://cidadecriativa.org/pt/cidade-criativa>. Acesso em: 8 set. 2013.

DCMS. Creative industries mapping document, 1998. Disponível em: . Acesso em: 3 out. 2015.

DÍAZ-BENÍTEZ, Maria Elvira. Buraco da Lacraia: interação entre raça, classe e gênero. In: VELHO, Gilberto. (Org). Rio de Janeiro: cultura, política e conflito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007, p.128-155.

FEIJÓ, Leo. Lapa Sustentável – Economia da Noite. Jalan, 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2016.

___.; WAGNER, Marcus. Rio Cultura da Noite: uma história da noite carioca. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2014.

FIGUEIREDO, João Luiz de. Economia criativa, cidade criativa e desenvolvimento. In: TEIXEIRA, Eduardo Ariel de Souza; CORRÊA, Sílvia Borges (Org.). Economia criativa. Coleção Contextos e Pesquisas. Rio de Janeiro: E-papers, 2015, p.27-47.

FLORIDA, Richard. The rise of the creative class – and how it’s transforming work, leisure, community and everyday life. Nova York: Basic Books, 2002.

FRYDBERG, Marina Bay; EIRAS, Rebeca Eler de Carvalho. “Eu Quero É Botar Meu Bloco na Rua”: O Carnaval dos Blocos No Rio De Janeiro Entre a Mercantilização e as Práticas Tradicionais. In: VII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS DE CONSUMO. Anais..., 2014. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 24-26 set. 2014.

GRUPO ARCO-ÍRIS. Nota oficial do Grupo Arco-Íris sobre a Parada do Orgulho LGBT Rio 2017. Grupo Arco-Íris website, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2017.

HOWKINS, John. The Creative Economy: How People Make Money From Ideas. Londres: Allen Lane, 2001.

JESUS, Diego Santos Vieira de. Só para o moço do corpo dourado do sol de Ipanema: distribuição espacial da economia noturna LGBT na cidade do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 19, n. 2, p. 288-309, 2017a.

___. “Só macho na encolha”: a heteronormatividade em aplicativos de redes geossociais gays em territórios criativos do Rio de Janeiro. Revista Ártemis, v. 23, n.1, p. 63-78, 2017b.

___. Parada do Orgulho LGBTI é um ato de resistência. O Globo, 16 nov. 2017c. Disponível em: . Acesso em: 24 nov. 2017.

___.; KAMLOT, Daniel. Economia Criativa e Políticas Públicas. Curitiba: Prismas, 2016.

LANDRY, Charles. Prefácio. In: REIS, Ana Carla Fonseca; KAGEYAMA, Peter (Org.) Cidades criativas: perspectivas. São Paulo: Garimpo de Soluções, 2011, p.7-15.

MIGUEZ, Paulo. Economia criativa: uma discussão preliminar. In: NUSSBAUMER, Gisele Marchiori (Org.) Teorias e políticas da cultura: visões multidisciplinares. Salvador: EDUFBA, 2007, p.95-113.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

NOGUEIRA, Ajuste fiscal de Crivella no Rio atinge desfile de Carnaval e paradas LGBT. Folha de S. Paulo, 17 jun. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2017.

ORTOLANO, Fábio. REU, v. 39, n.1, p. 105-123, 2013.

PEREIRA, Severino Joaquim Nunes; AYROSA, Eduardo André Teixeira. Between Two Worlds: an Ethnographic Study of Gay Consumer Culture in Rio de Janeiro. BAR, v.9, n.2, p.211-228, 2012.

PROCTOR-THOMSON, Sarah Belle. Creative differences: the performativity of gender in the digital media sector. Tese – PhD em Gender and Women’s Studies. Centre for Gender and Women’s Studies, Lancaster University, Lancaster, 2009.

RODRIGUES, Matheus; BRUNO, Cássio. Com Valesca, Daniela Mercury e Pabllo, Parada LGBTI movimenta orla de Copacabana. G1 Rio, 19 nov. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2017.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. Epistemologia do armário. Cadernos Pagu, n. 28, p. 19-54, 2007.

TRIP, Jan Jacob. Creative city development in the Lisbon Strategy: evidence from Dutch ERDF allocation. City Futures ’09: An International Conference Globalism and Urban Change. Madrid, 4-6 jun. 2009.
Publicado
2018-06-28
Como Citar
SANTOS VIEIRA DE JESUS, Diego. Criatividade e Resistência: a Parada do Orgulho LGBTI do Rio Janeiro de 2017. Rebeh - Revista Brasileira de Estudos da Homocultura, [S.l.], v. 1, n. 02, p. 47-60, june 2018. ISSN 2595-3206. Disponível em: <http://revistas.unilab.edu.br/index.php/rebeh/article/view/108>. Acesso em: 21 aug. 2018.
Seção
Artigos