Aspectos de concordância verbal na aprendizagem do português língua estrangeira

  • Diocleciano Nhatuve Universidade do Zimbabwe (leitor) Universidade de Coimbra (doutorando)
  • Margret Chipara Universidade do Zimbabwe (docente) University of South Africa (doutoranda)

Resumo

Este artigo tem com objetivo apresentar as tendências da concordância verbal em Português língua estrangeira. O estudo baseia-se na teoria sociolingüística e na metodologia qualitativa de tal sorte que revela aspetos de concordância salientes na linguagem escrita por aprendentes de Português na Universidade do Zimbabwe. Os resultados indicam aspetos e fatores de concordância verbal desviante comuns a todas as variantes. No entanto, os mesmos dados revelam igualmente aspetos particulares ao grupo. As variáveis sociais condicionantes dos desvios não são necessariamente as mesmas; ademais, enquanto noutras variantes, em que apenas se registram desvios de número, a saliência fônica singular/plural da terceira pessoa é favorável à concordância, no seio do grupo alvo, em que ocorrem desvios de número e de pessoa, revela-se menos significativa. É na concordância em pessoa que se concentram as dificuldades, as quais consistem na confusão entre a 1ª e a 3ª pessoas do singular

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
Diocleciano Nhatuve é natural de Moçambique, Licenciando em Ensino de Português pela Universidade Mondlane – Maputo; Mestre em Ciências da Linguagem e Comunicação pela Universidade de Évora; Leitor de Português na Universidade do Zimbabwe e Doutorando em Língua Portuguesa: Investigação e Ensino – Universidade de Coimbra. 
##submission.authorWithAffiliation##
Nacionalidade zimbabweanaDocente de PLE e de literaturas lusofonasMPhil em traducao literariaDoutoranda pela University of South Africa

Referências

ADRIANO, P. S. Tratamento morfossintáctico de expressões e estruturas frásicas do português em Angola: Divergências em relação à norma europeia, 2014. Évora: Universidade de Évora (Tese de Doutoramento), 2014, pp. 594.
ARAÚJO, S. S. de F. Concordância verbal e formação da realidade sociolingüística brasileira. Cuadernos de la Alfal N° 7, 2015, pp. 144-184. ISSN 2218-0761.
BAXTER, A. N. Concordância verbal. In LOBO, T. e OLIVEIRA, K. (Orgs.) África à vista: dez estudos sobre o português escrito por africanos no Brasil do século XIX [online]. Salvador: EDUFBA, 2009. pp. 317-337. ISBN 978-85-2320-888-2. Disponível em: SciELO Books . Acesso 20.05.2017.
CARNEIRO, R. A educação intercultural. In MATOS, Artur Teodoro de; e LAGES, Mário F. Povos e Culturas – No 13: Portugal Iinterculturalidade. Lisboa: Centro deos Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesas, OI. 2008, pp. 129-178.
CARVALHO, G. A de. A concordância verbal no português europeu: variação e preenchimento do sujeito. Alfa, São Paulo, 57 (1), pp. 81-98, 2013.
CUNHA, C; CINTRA, L. Nova gramática do português contemporâneo. Lisboa: João Sá da Costa, 2005.
DEQUI, F. A língua portuguesa tem quatro tipos de concordância. In: Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04, 2009, pp. 1435-1445.
ECKERT, P. Language and Gender in Adolescence. In: HOLMES, J; MEYERHOFF, M. (Ed.) The handbook of language and gender. Oxford: Blackwell Publishing Ltd, 2003, pp. 381- 400.
GONÇALVES, P. Aspectos morfossintáticos da gramática do português de Moçambique: a concordância nominal e verbal. Cuadernos de la Alfal No 7, 2015, pp. 9-16. ISSN 2218-0761.
GONÇALVES, P. Pesquisa lingüística e ensino do português L2: Potencialidades das taxonomias de erros. Lingüística - Revista de Estudos Lingüísticos da Universidade do Porto - Vol. 2 -2007, pp. 61-76.
GONÇALVES, P. Tipologia de ‘erros’ do português oral de Maputo: um primeiro diagnóstico. In: STROUD, C. GONÇALVES, P.. (Orgs.). Panorama do português oral de Maputo - Vol. II: A construção de um banco de “erros”. Maputo: Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação, 1997, pp. 37-67.
LUCCHESI, D. (2012) A Teoria da Variação Linguística: um balanço crítico. In: ESTUDOS LINGUÍSTICOS, São Paulo, 41 (2): p. 793-805.
MA, X. Concordância verbal na língua portuguesa: Principais problemas para alunos chineses e portugueses, 2015. Aveiro: Universidade de Aveiro (Dissertação de Mestrado), 2015, pp. 98.
MARANTZ, A. P. On the nature of grammatical relations, 1991. (Tese de Doutoramento) Massachusetts Institute of Tecnology, 1981, pp. 374.
MOLINARO, M; BARBER, H; CARREIRAS, M. Grammatical agreement processing in reading: ERP findings and future directions. In: ScienceDirect, 2011, pp. 908-930. Disponível em: www.sciencedirect.com. Acesso: 22/10/2016.
MONGUILHOTT, I. O. S. Estudo Sincrônico e Diacrônico da Concordância Verbal de Terceira Pessoa do Plural no PB e no PE, 2009. Florianópolis, Universidade Santa Catariana (Tese de Doutoramento), 2009, pp.229.
MONTE, A. A variação da concordância verbal no português popular da cidade de São Carlos. In: Costa, D. S. (Org.) Pesquisas lingüísticas pautadas em corpora [online]. São Paulo: Editora UNESP, 2014, pp. 153-174. ISBN 978-85-68334-41-6. Available from SciELO Books. Acesso n22. 04.2017.
NHATUVE, D. J. R.; FONSECA, M. C. Aspectos da sintaxe do português falado no sul de Moçambique. Revista de Letras, Vila Real, série II, n. 11, p. 145-156, 2013.
PEREIRA, I; MARTINS, C. Metodologias de ensino de PL2 à medida dos estudantes. In: MATEUS, Maria Helena Mira et al. (Org.) Metodologias e Materiais para o ensino do Português como Língua Não Materna. Lisboa: ILTEC, 2009, pp. 31-37.
PERES, J; MÓIA, T. Áreas críticas da língua português. Lisboa: Caminho, 1995.
RAPOSO, E. B. P. Estrutura da frase. In RAPOSO et al. Gramática do português. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2013, pp. 303-390 .
ROMAINE, S. Variation in Language and Gender. In: HOLMES, J. e MEYERHOFF, M. (Eds.) The handbook of language and gender. Oxford: Blackwell Publishing Ltd, 2003, pp. 98-118.
SALOMÃO, A. C. B. (2011) Variação e mudança linguística: panorama e perspectivas da sociolinguística variacionista no brasil. In: Fórum Lingüístico, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. 187-207, jul./dez. 2011 Disponivel em: http://dx.doi.org/10.5007/1984-8412.2011v8n2p187. Acesso: 02.03.2017.
VANPATTEN, B. (2004) Processing Instruction: Theory, Research, and Commentary. Mahwah, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates.
VIEIRA, S. R. e BRANDÃO, S. F. Tipologia de regras lingüísticas e estatuto das variedades/línguas: a concordância em português. Lingüística, Vol. 30 (2), 2014, pp. 81-112, ISSN 1132-0214.
Publicado
2017-08-11
Como Citar
NHATUVE, Diocleciano; CHIPARA, Margret. Aspectos de concordância verbal na aprendizagem do português língua estrangeira. Mandinga - Revista de Estudos Linguísticos, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 8-14, aug. 2017. ISSN 2526-3455. Disponível em: <http://revistas.unilab.edu.br/index.php/mandinga/article/view/60>. Acesso em: 25 may 2018.
Seção
Artigo experimental (acadêmico)

Palavras-chave

Português língua estrangeira; Concordância verbal; Pessoa e número; Aspetos marcantes