Inversão de realidade e ironia: o humor nas crônicas de Porchat

  • Gabriela Gomes da Rocha Universidade Federal de São Paulo

Resumo

Considerando-se que Fábio Porchat – além de ator, roteirista, diretor, apresentador brasileiro e humorista ­– também é escritor, tendo em vista que publicou no jornal O Estado de S. Paulo crônicas humorísticas no período de setembro de 2014 a julho de 2016, neste trabalho, visa-se, por meio da análise de algumas de suas crônicas, assinalar as técnicas de produção de humor a que o cronista recorre para provocar um efeito humorístico, de modo que sejam além de bem-humoradas, também particulares de seu estilo. Na área do humor, as pesquisas a respeito das técnicas de produção de humor utilizadas para tornar um texto engraçado vem sendo tema de muitas pesquisas para estudiosos da área. Contudo, estudos a respeito da produção de humor em textos contemporâneos são ainda poucos – o que vem a justificar o presente trabalho. A pesquisa tem como hipótese que as técnicas de produção de humor mais utilizadas por Porchat nas crônicas selecionadas (que foram agrupadas em dois tipos) sejam a “inversão da realidade” (técnica que depende também do conhecimento prévio do leitor para que se deflagre o humor) no primeiro tipo e a ironia no segundo tipo. O estudo tem como base autores e teses que tratam de questões referentes ao humor e às técnicas humorísticas, tais como Bergson (1987); Possenti (1998, 2010) e Travaglia (1992, 2015).
Publicado
2017-08-11
Como Citar
DA ROCHA, Gabriela Gomes. Inversão de realidade e ironia: o humor nas crônicas de Porchat. Mandinga - Revista de Estudos Linguísticos (ISSN: 2526-3455), [S.l.], v. 1, n. 2, p. 38-57, aug. 2017. ISSN 2526-3455. Disponível em: <http://revistas.unilab.edu.br/index.php/mandinga/article/view/53>. Acesso em: 20 sep. 2017.
Seção
Artigo experimental (acadêmico)