Orações relativas e aquisição de L2

Autores

  • Rossini Fonseca Silveira Universidade Federal de Goiás

Resumo

Este artigo traz uma revisão literária sobre a estrutura das orações relativas e a forma como os universais tipológicos têm contribuído para as pesquisas sobre a aquisição de L2. Para tanto, são apresentadas ilustrações dos subtipos de orações relativas em línguas como o inglês, o português, o francês e o espanhol, demonstrando que o fenômeno da relativização oferece uma descrição sintática que se estabelece entre os elementos constituintes das orações. Os estudos realizados até então sobre esse tópico revelaram que os aprendizes seguem um padrão hierárquico de aquisição, adquirindo primeiro as estruturas mais básicas e menos complexas, o que permite a previsão de estágios diferentes para a aquisição de uma L2, com base no uso de pronomes resumptivos relacionados a aspectos contextuais, semânticos e pragmáticos.

Referências

BRUCART, J. M. La estructura del sintagma nominal: Las oraciones de relativo. In: BOSQUE, I.; DEMONTE, V. (Orgs.). Gramática Descriptiva de la Lengua Española. vol. 1, cap. 7. Colección Nebrija y Bello. Real Academia Española. Madrid: Espasa, 1999. 395-522.

CHOMSKY, N. The minimalist program. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 1995.

COOK, V.; NEWSON, M. Chomsky’s Universal Grammar. 2 ed. Oxiford. Malden, Massachusets. Blackwell Publishers, 1996.

COMRIE, B. Language universals and linguistic typology. Syntax and morphology. Ed 2. Oxford, 1989.

CORRÊA, Vilma Reche. Oração relativa: o que se fala e o que se aprende no português do Brasil.1998. 174 páginas. Tese (Linguística) – UNICAMP, Campinas, SP. 1998.

ECKMAN, F. R. Some theoretical and pedagogical implications of the markedness differential hypothesis. Studies in Second Language Acquisition 7:289-307, 1985.

ECKMAN, F. R. Linguistic typology and second language acquisition. In: JAE, J. Song, (Org.). The Oxford Handbook of Linguistic Typology. OUP Oxford: Cap. 5, 2010, p. 618-633.

ELLIS, R. Understanding Second Language Acquisition. Oxford: Oxford University Press, 1985.

GIACALONE RAMAT, A. Typological universals and second language acquisition. In: SCALISE, E. S. Magni, & BISETTO, A. Universals of language today (p. 253–72). Dordrecht, Netherlands: Springer. 2009.

HAMILTON, R. Is implicational generalization unidirectional and maximal? Evidence from relativization instruction in second language acquisition. Language Learning 44:123-157, 1994.

KEENAN, E. L.; COMRIE, B. Noun Phrase Accessibility and Universal Grammar. Linguistic Inquiry. Vol. 8. Nº 1, The MIT Press, p. 63-99, 1977.

LEVELT, W. J. M. Speaking: from intonation to articulation. Cambridge: London, 1989.

PIRES, M. E. Sobre o sistema de posposições em língua indígenas brasileiras: um estudo tipológico. Cadernos de Letras da UFF. Dossiê: Letras, linguística e suas interfaces, no 40, p. 223-237, 2010.

ROBINS, R. H. Comparação Linguística. Trad. Elizabeth Corbetta A. da Cunha e outros. In: CARSON, N. M. et al. Linguística Geral. Ed. 2, Porto Alegre – Rio de Janeiro, Globo, 1981. p. 305-357.

TARRALO, F. Relativization Strategies in Brasilian Porguese. Ph.D. Dissertation. University of Penssylvania, 1983.

WHALEY, L. J. Introduction to typology the unity and diversity of language. Califórnia: Sage Publications, 1997.

Downloads

Publicado

2107-2020

Edição

Seção

Artigo de revisão de literatura