A neologia e os processos genolexicais em antropônimos brasileiros: um breve mapeamento de estudos realizados

  • Natival Almeida Simões Neto
  • Letícia Santos Rodrigues

Resumo

Este trabalho tem caráter revisionista e pretende destacar os aspectos morfolexicais atinentes à antroponímia brasileira, partindo, inicialmente, da constatação feita por alguns autores, como Castro (2004), de que o Brasil, diferentemente de Portugal, se caracteriza pela inovação na atribuição de nomes de pessoas. Partindo desse aspecto, foi feito um relato crítico, comparado e aproximativo de dois projetos de pesquisa realizados na primeira década do século XXI e que descreveram a antroponímia do Brasil em perspectivas diferentes, a partir de localidades diferentes (Rio de Janeiro e Bahia). Por fim, fez-se um detalhamento dos aspectos morfológicos em torno da inovação antroponímica brasileira, tomando como norte as categorizações de Monteiro (2002) e acrescentando discussões feitas por outros autores sobre o referido tema. Para subsidiar as discussões, foram coletados alguns registros de nomes em variados sites e páginas brasileiras na internet.  

##submission.authorBiography##

Natival Almeida Simões Neto
Mestre (2016) pelo Programa de Pós-graduação em Língua e Cultura, da Universidade Federal da Bahia. Graduado (2014) em Letras Vernáculas (Licenciatura), por essa mesma instituição. Atualmente, é professor substituto no Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal da Bahia, atuando em disciplinas dos setores de Texto e de Língua Portuguesa. Os principais interesses de estudo e pesquisa estão nas áreas de Morfologia, Antroponímia, Léxico e Semântica em Perspectiva histórica e/ou cognitivista.
Publicado
2017-08-11
Como Citar
SIMÕES NETO, Natival Almeida; RODRIGUES, Letícia Santos. A neologia e os processos genolexicais em antropônimos brasileiros: um breve mapeamento de estudos realizados. Mandinga - Revista de Estudos Linguísticos (ISSN: 2526-3455), [S.l.], v. 1, n. 2, p. 110-127, aug. 2017. ISSN 2526-3455. Disponível em: <http://revistas.unilab.edu.br/index.php/mandinga/article/view/33>. Acesso em: 20 sep. 2017.
Seção
Artigo de revisão de literatura