Nos trilhos do trem: a modernidade no discurso jornalístico

a modernidade no discurso jornalístico

  • Micheli Rosa Universidade Estadual do Centro Oeste
  • Claudia Maris Tullio

Resumo

No início do século XX a elite guarapuavana atribuía o seu isolamento em relação às outras cidades do Estado do Paraná devido à ausência de vias de transporte. O presente trabalho centra-se neste desejo da construção das vias férreas por uma parte da população. Desta forma, busca analisar pela ótica da notícia veiculada a um jornal do período – Correio do Oeste de 1930 a questão entre isolamento e a almejada modernidade. Compreende-se que nas primeiras décadas do século XX a ideia de progresso e modernidade circulava nos jornais da cidade de Guarapuava. Para compreensão de tal interesse é necessário possuir uma visão do que seja esse evento, neste sentido Berman (1986) aponta que a modernidade é um conjunto de experiências, dentre elas a questão de transformação e rompimento de barreiras. Tais empreendimentos, experiências e concepções sobre o desenvolvimento por meio do progresso podem ser observados na linguagem como prática social, ou seja, o discurso modernizador propagado pela imprensa reflete não apenas o isolamento, e a vontade de escoar a produção, mas especialmente reflete as relações de poder e dominação da elite do respectivo período. Para análise e compreensão dos eventos emprega-se o método espistemológico dialético crítico proposto por Fairclough (2001) e a outra perspectiva advém do campo da História que possibilita compreender a imprensa como instrumento de manipulação de interesses e de modificação da vida social. Através da interdisciplinaridade entre as Ciências citadas foi possível constatar que a particularidade do texto modelado segundo as experiências e concepções de mundo do redator mostram as relações entre a prática discursiva e social e com isso permeia os processos históricos que articulam e constituem o discurso de modernidade e isolamento.

Referências

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: A aventura da modernidade, São Paulo: companhia das letras, 1986.
BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutenberg à Internet. 2.ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2006
BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari (1994). Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1991. (Coleção Ciências da Educação).
CAPELATO, Maria Helena Rolim. A imprensa na história do Brasil. São Paulo: contexto/ EDUSP, 1988.
FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.
GIDDENS, Anthony. As conseqüências da modernidade. São Paulo: Editora UNESP, 1991.
LACERDA, Dulcídio Tavares. Guarapuava como centro irradiador do futuro do Paraná e a sua ligação ferroviária. Correio do Oeste, 1930. Arquivo Municipal de Guarapuava.
LUCA, Tania Regina de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes Históricas. 2. ed. 2ª impressão. São Paulo: Contexto, 2010.
MAGALHÃES, Izabel. Prefácio. In: FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.
MARIANI, Bethania Sampaio Correa. Imprensa de 1930 e memória histórica: uma questão para análise do discurso. Dissertação (mestrado) São Paulo: Unicamp, 1988.
MELLO, Silvia Gomes Bento de. O gigante e a locomotiva: projetos de modernidade e estratégias de territorialização no Paraná (Guarapuava 1919-1954). Dissertação (Mestrado em História). Florianópolis: UFSC, 2003.
SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na primeira república. São Paulo: Brasiliense, 1983.
SILVA, Giselda Brito. História e Linguística: Alguns refelixões em torno das propostas que aproxima a História da Análise do Discurso. Sæculum – Revista de História. João Pessoa, ago./ dez. 2004
SILVA, Walderez Phol da Silva. Guarapuava: a crônica de uma cidade enunciada (1819-1978). Guarapuava, 1999. Dissertação (mestrado em história). UNESP/UNICENTRO.
TEMBIL, Márcia. Em busca da cidade Moderna: Guarapuava...recompondo histórias, tecendo memórias. Guarapuava: UNICENTRO, 2007.
NEVES, Maria Helena de Moura. As duas grandes correntes do pensamento linguístico: formalismo e funcionalismo. In: A gramática funcional. São Paulo: Martins Fontes,1997
PEZATTI. O Funcionalismo em Linguística. In: BENTES, A. C.; MUSSALIM, F. (Org.). Introdução à Linguística: fundamentos epistemológicos. São Paulo: Cortez, 2004. v. 3. p. 165
REZENDE E RAMALHO. Linguagem em (Dis)curso - LemD, Tubarão, v. 5, n.1, p. 185-207, jul./dez. 2004
MAGALHÃES, I. Introdução: A Análise de Discurso Crítica. D.E.L.T.A., v. 21, n. espec., p. 1-9, 2005.
Publicado
2018-04-07
Como Citar
ROSA, Micheli; TULLIO, Claudia Maris. Nos trilhos do trem: a modernidade no discurso jornalístico. Mandinga - Revista de Estudos Linguísticos, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 95-110, apr. 2018. ISSN 2526-3455. Disponível em: <http://revistas.unilab.edu.br/index.php/mandinga/article/view/101>. Acesso em: 18 oct. 2018.
Seção
Artigo experimental (acadêmico)