O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • URLs para as referências foram informadas quando possível.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.
  • Em caso de submissão a uma seção com avaliação pelos pares (ex.: artigos), as instruções disponíveis em Assegurando a avaliação pelos pares cega foram seguidas.

Diretrizes para Autores

A Mandinga – Revista de Estudos Linguísticos é permanentemente aberta a submissões. São aceitos para publicação trabalhos inéditos, em língua portuguesa, produzidos sob forma de artigos experimentais, artigos de revisão de literatura, ensaios ou resenhas por pesquisadores graduandos, graduados ou pós-graduados.

Autoria: artigos experimentais, artigos de revisão de literatura, ensaios e relatos de experiência deverão ter, no máximo, 3 autores. Não serão aceitas resenhas em coautoria. Os colaboradores poderão submeter quantos artigos preferirem, porém só será publicado um único trabalho por autor a cada edição, mesmo em coautoria.

Gêneros:

Artigo experimental consiste em produto de pesquisa empírica. Geralmente apresentam seções bem delimitadas de fundamentação teórica, metodologia e análise de dados. Artigo de revisão de literatura consiste em síntese crítica sobre determinado quadro teórico ou campo do saber e não devem ser confundido com fundamentações teóricas, as quais são uma seção específica de trabalhos acadêmicos em geral. Ensaio consiste em reflexão teórica sobre um determinado tema ou problema. Relato de experiência consiste na descrição de uma experiência profissional que contribua de forma relevante para a área de atuação. Resenha consiste em apresentação e análise de livro científico recém-lançado (até 2 anos).

Extensão:

Artigo experimental, artigo de revisão de literatura e ensaio: entre 4.500 (quatro mil e quinhentas) palavras e 10 mil palavras, incluindo referências bibliográficas.

Resenha: até 3.500 (três mil e quinhentas) palavras.

Estrutura: 

Trabalhos devem ser enviados em formato Microsoft Word, fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento simples entre linhas, sem espaçamento entre parágrafos.

Título do artigo: em maiúsculas e em negrito, centralizado no alto da primeira página, tamanho da fonte 14. Resenhas não têm título.

Nome do autor: Virá por extenso, com apenas o último sobrenome em maiúsculas, tamanho da fonte 12, uma linha após o título do trabalho, alinhado à direita. Ressalte-se que o trabalho deve ser enviado sem identificação de autoria, esta será realizada no próprio sistema, no ato da submissão. Após aceite, serão solicitadas informações respeitantes a titulação máxima do autor, instituição de origem por extenso, cidade e estado da instituição e endereço eletrônico do autor.

Filiação: Em nota de rodapé, com indicação a partir do sobrenome do autor, indicar informações sobre titulação máxima do autor, instituição de origem por extenso, cidade e estado da instituição e endereço eletrônico do autor.

Resumo: Duas linhas abaixo do nome do autor, sem adentramento, em espaço simples, tamanho da fonte 11. Texto com até 500 palavras contendo informações acerca de tema, objetivo, referencial teórico, metodologia de coleta e análise de dados e resultados. A palavra ‘resumo’ deve estar em negrito, o corpo do texto do resumo não deve receber destaque. Resenhas não têm resumo.

Palavras-chave: Uma linha abaixo do resumo, sem adentramento, deve seguir-se lista contendo de três a cinco palavras-chave separadas por ponto-e-vírgula, iniciais minúsculas. A expressão ‘palavras-chave’ deve estar em negrito. As palavras-chave não devem receber destaque.

Abstract: texto correspondente ao resumo, em linha inglesa. Segue a mesma formatação do resumo.

Keywords: palavras-chave em língua inglesa. Segue a mesma formatação das palavras-chave.

Corpo do texto: três linhas após o abstract. O corpo do texto deve ser escrito em Times New Roman, tamanho da fonte 12, justificado, sem espaçamento entre parágrafos e com espaçamento simples entre linhas. O adentramento dos parágrafos deve ser feito com um toque na tecla Tab. O papel deve ser tamanho A4 (21cm x 29,7cm), com margens superior e inferior de 2,5cm e esquerda e direita de 3cm. A extensão para artigos experimentais, artigos de revisão de literatura e ensaios é de no mínimo 5 mil palavras e no máximo 10 mil palavras, incluindo referências. A extensão para resenhas não deve ser superior a 3 mil e quinhentas palavras.

Os tópicos não devem ser numerados. Subtítulos de segundo nível deverão estar em negrito, tamanho da fonte 12, uma linha antes e após seções adjacentes. Subtítulos de terceiro nível em diante virão em tamanho 12, itálico, sem espaço entre subtítulo e parágrafo seção consequente.

Notas de rodapé deverão ser utilizadas quando estritamente necessário. Fonte: Times New Roman, tamanho 11, justificadas.

Destaques no texto, quando houver, devem ser marcados em negrito. Palavras estrangeiras deverão ser grafadas em itálico. Exemplos ao longo do texto devem ser numerados, em ordem crescente por meio de numerais cardinais entre parênteses, usando mesmo adentramento para parágrafos, uma linha após o corpo do texto.

Citações com até de três linhas aparecem no corpo do texto, destacadas por aspas duplas. Referências a obras no corpo do texto devem seguir a ABNT: apenas a primeira letra maiúscula quando usada fora de parênteses: Lyons (2013), ou todas maiúsculas entre parênteses: (LYONS, 2013). Deve-se indicar a autoria do que é dito tanto em casos de citação direta quanto indireta. É facultada a indicação de página em casos de citação indireta.

Citações diretas com mais de três linhas devem ser destacadas com recuo de 4cm da margem esquerda, fonte Times New Roman, tamanho 10, espaçamento simples, sem aspas. Separam-se citações longas do corpo do texto com duas linhas, antes e depois da citação. Logo após a citação, na mesma linha, deve ser indicada a referência entre parênteses, com informações sobre autor, ano e página. Ex.: (LYONS, 2013, p. 126).

Tabelas, figuras e quadros devem ser numerados e intitulados. Devem aparecer centralizados, com formatação circunscrita aos limites das margens. Os títulos devem ser colocados sobre as tabelas/figuras/quadros, tamanho da fonte 11, duas linhas após o parágrafo precedente. Sob as tabelas/figuras/quadros, deve ser informada a referência, com informações sobre autor, ano e página, separada por duas linhas do parágrafo ou subtítulo seguinte. Em caso de autoria própria, utilizar a expressão “Elaboração própria”.

Figuras não devem ser confundidas com imagens sob análise. Aquelas têm por intuito facilitar a compreensão do fenômeno em estudo, como gráficos, esquemas teóricos, organogramas. Imagens de quadros, de memes, de anúncios, etc. são exemplos e não devem ser intitulados. Sua indicação obedecerá a mesma que exemplos comuns: numerados, em ordem crescente por meio de numerais cardinais entre parênteses, usando mesmo adentramento para parágrafos, uma linha após o corpo do texto. As imagens devem ter resolução mínima de 300dpi e sua fonte deve ser indicada conforme normas da ABNT.

No corpo do texto, ao se referir a tabelas, quadros, gráficos, etc., devem ser evitados dêiticos textuais como “acima” ou “abaixo”, uma vez que, por força de formatação, tabelas, quadros e gráficos podem ser deslocados. Fazer  remissão pelo número: “conforme Gráfico 2”, por exemplo.

Usar a palavra ‘Referências’ em vez de ‘bibliografia’ ou ‘referências bibliográficas’. As referências devem ser organizadas em ordem alfabética e devem obedecer normas da ABNT, conforme modelo a seguir. O nome dos autores poderá ser abreviado ou vir por extenso, porém será necessária uniformização. Tamanho da fonte 12, não justificado, sem linhas entre referências.

Livro autoral:

LYONS, John. Lingua(gem) e linguística: uma introdução. Tradução: Marilda Winkler Averburg, Clarisse Sieckienius de Souza. Rio de Janeiro: LTC, 2013.

RAMALHO, Viviane; RESENDE, Viviane de Melo. Análise de discurso (para a) crítica: o texto como material de pesquisa. Campinas, SP: Pontes, 2011.

Capítulo de livro:

BENVENISTE, Émile. O aparelho formal da enunciação. In: BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral II. Tradução: Eduardo Guimarães. 2ª ed. Campinas, SP: Pontes, 2006.

BEZERRA, Paulo. Polifonia. In: BRAIT, Beth. (Org.) Bakhtin: conceitos-chave. 4ª ed. São Paulo: Contexto, 2008. p. 191-200.

Organizadores, compiladores, editores, etc:

MUSSALIM. Fernanda; BENTES, Anna Christina. (Org.). Introdução à linguística: domínios e fronteiras, v. 1. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 2007.

Artigo em periódico:

AUTHIER-REVUZ, Jacqueline. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, UNICAMP – IEL, n. 9, jul./dez., 1990. p. 25-42.

Teses e dissertações:

WIESER, Hans Peter. A produção discursiva da moral no gênero fofoca: elementos para uma descrição micro e macrossocial da conversação cotidiana. 2009. 851f. Tese (Doutorado em linguística) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.