De laudos e fotografias periciais: o que palavras e imagens comunicam sobre sofrimento e violência?

Autores

  • Cilmara Veiga Lima de Melo

Palavras-chave:

Laudos periciais, Fotografias forenses, Sofrimento

Resumo

Este artigo tem por objeto de análise os laudos de perícia de local que integram os processos criminais de Dona Rosa e Dona Camélia. As duas foram, respectivamente, a primeira e a última vítimas do Maníaco Matador de Velhinhas. Ele assassinou cinco mulheres com idades entre 58 e 76 anos, nos anos de 1995 e 1996, em Juiz de Fora, no interior do estado de Minas Gerais, Brasil. Além das descrições textuais feitas pelo perito quanto aos locais dos crimes, os laudos produzidos pelo Instituto de Criminalística encontram-se também ilustrados por anexos fotográficos. A partir destes artefatos documentais, o interesse da reflexão aqui proposta volta-se para a relação entre texto e imagem enquanto procedimentos periciais que produzem distintas interpelações e estéticas de dor, sofrimento e violência ao documentarem, certificarem e materializarem vestígios e crimes.

Downloads

Publicado

0403-2020